maismania

Mais do que nunca o diálogo e a confiança entre pais e filhos é a melhor solução para situações complicadas e também para evitar problemas. Crianças e adolescentes precisam ter limites. Principalmente na internet. Mas o que podem acessar e até qual idade devem ser supervisionados? A internet não deve ser vista como um monstro pelos pais. Ela pode ser uma rica fonte de informações e descobertas, mas há cuidados a serem tomados. Desenvolver a responsabilidade dos filhos e, à medida em que crescem, aumentar aos poucos o leque de sites é a melhor alternativa.

Redes sociais são perigosas
Para muitos especialistas, o ideal é que apenas os maiores de idade possam fazer parte das redes sociais. O problema é que, como esses sites não exigem comprovação da data de nascimento, qualquer um pode criar um perfil com informações alteradas. O melhor a fazer é supervisionar e conversar sobre os perigos contidos ali para toda a família. Alerta também para o risco ao publicar imagens da criança vestindo o uniforme, pois isso revela onde ela estuda.

Recomendações para os pais
* Limite o tempo de utilização da internet pelas crianças e adolescentes.
* Saiba por quais sites eles navegam e que comunidades virtuais integram.
* Peça para ler o que eles divulgam em seus blogs, comunidades e salas de bate-papo.
* Instrua-os a não divulgar dados pessoais, como nome, endereço, telefone, fotografias, escola e e-mail em locais públicos da internet.
* Mantenha o computador numa área comum da casa e com a tela visível.
* Coloque-se sempre à disposição para ajudar caso eles se sintam em perigo, mesmo se não dominar a tecnologia.                                                                                                                                                                                                 * Não permita que seu filho ligue a web cam para desconhecidos.
* Opte por programas que filtram e bloqueiam sites. Pesquise para encontrar um que se ajuste às regras previamente estabelecidas e acordadas com seus filhos.
* Os programas ajudam, mas nunca podem substituir o acompanhamento dos pais. Diálogo e confiança ainda são as melhores tecnologias de segurança!
* Se surgirem dúvidas, verifique! Não ignore qualquer sensação de insegurança. Prevenir nunca é demais!
* Sempre que ver alguma coisa errada, denuncie por meio do site www.denuncie.org.br

Fonte da imagem: www.mundoinfantil.pt
Fonte: www1.folha.uol.com.br